CRÍTICA: “Homo tapiens”

A Orquestra Brasileira de Sapateado (OBS) divulgou na última terça (21) que o ser humano evoluiu para uma nova espécie, a Homo tapiens. O anúncio foi feito na última terça (21), no espetáculo “Homo tapiens“, no Teatro Clara Nunes, no Rio de Janeiro.

Se o Homo sapiens é uma evolução do Homo erectus, o Homo tapiens veio do Homo sapiens. A principal característica da nova espécie são as incríveis habilidades motoras nos pés. Elas possibilitam que o Homo tapiens possa dançar e sapatear com extrema habilidade. Apesar da descoberta ser recente, há indícios que a nova espécie já existe há milênios, desde a Idade das Pedras.

Homo Tapiens foto Carlos Costa
Foto: Carlos Costa

Brincadeiras à parte, o espetáculo é um grande show em comemoração aos trinta anos da OBS. No musical, a companhia criada pelas coreógrafas Stella Antunes e Amália Machado e pelo maestro Tim Rescala, conta a história do sapateado a partir da teoria da evolução de Charles Darwin, biólogo britânico.

O ponto de partida é o homem primata da Idade da Pedra. Os dançarinos caracterizados como hominídeos dançam, ainda descalços, descobrindo seus corpos como instrumentos musicais.

A história vai passando e acompanhamos a evolução do homem – e de sua música – na Grécia Antiga, França de Maria Antonieta, Irlanda medieval. Até que chegarmos aos Estados Unidos de 1840, quando os sapatos ganham as chapinhas de metal que transformam a tap dance em uma febre. A cada cena, os bailarinos vão se transformando, alterando figurinos e partitura corporal, de modo a acompanhar as respectivas épocas.

Homo Tapiens foto Carlos Costa
Foto: Carlos Costa

Em seguida, o espetáculo ganha ares mais brasileiros e junta sapateado com samba, coco e funk. O resultado é uma mistura muito bonita de se ver e de se ouvir.

Mas o melhor é o número “Tapnologia”. Aqui a imaginação corre solta e o espetáculo não é mais musical, mas visual. Muitas luzes e cores tomam conta do palco a fim de representar o nosso futuro, enquanto o narrador Renato Rabello pergunta: “Estamos evoluindo? Que será do futuro?”.

O resultado é um espetáculo leve, colorido e divertido. E, quando as cortinas se fecham, uma coisa fica clara. Há quem não acredite na Evolução de Darwin, mas, de qualquer forma, a humanidade precisa de arte e cultura pra conseguir evoluir.

Homo tapiens”, com Orquestra Brasileira de Sapateado

Teatro Clara Nunes – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso, Rio de Janeiro/RJ.

21 de janeiro a 12 de fevereiro.

Terças e quartas, às 20h.

Ingressos: R$ 80 (inteira), R$ 40 (meia), R$ 30 (promoções).

Classificação: 14 anos.