Mariana Volker faz show de lançamento nesta sexta

Publicado por:

Categorias

Compartilhar

Mariana Volker se apresenta, na próxima sexta-feira (6), no Rio de Janeiro. O evento marca o lançamento do álbum “Órbita”, novo disco da cantora. O local escolhido foi o Centro da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca.

Entrar em “Órbita”, novo álbum da cantora e compositora Mariana Volker, é passear entre sentimentos complexos e profundos numa busca intensa em ser feliz. Feridas e dores de amores curadas (e mal curadas) se misturam a arranjos sensíveis e vibrantes. E antes que se dê conta, você já está ali, entendendo, se enxergando, torcendo e vivendo cada uma das oito faixas.

Ouça nas plataformas digitais:

O disco chegou em todas as plataformas digitais através da Altafonte, foi produzido por Pedro Sodré com co-produção de Thiago Vivas. Para os mais apegados a rótulos, pode se dizer que é um álbum pop e rock’n roll.

Coeso e notoriamente muito bem planejado desde a capa – com arte de Raphael Tepedino em referência à Elke Maravilha e foto de Julia Assis – até a ordem das faixas, “Órbita” é um deleite aos admiradores da arte ao mesmo tempo que é a vitória de uma batalha contra a depressão.

Os clipes já lançados de ” + Amor” (Mariana Volker e Emerson Leal) e “Montes Claros” (Mariana Volker e Valentina Zanini) ambos com direção de Letícia Pires, comprovam quão cuidadoso é o projeto. No primeiro, Mariana Volker pede respeito às diferenças, no outro ela sofre ao se despedir de um grande amor, numa das faixas mais emocionantes de “Órbita”.

“Ela é uma ferida. Uma carta direta, sem maquiagem”, define a cantora.

Já na faixa de abertura, “Labirinto” (Mariana Volker e Valentina Zanini), o eu-lírico está perdido.

“Esta canção foi exatamente o início de todo processo de ‘Órbita’. Ela é um questionamento e foi nela que veio o click de que eu precisava mergulhar dentro de mim para me curar, para sair do buraco, para voltar a compor”, lembra Mariana.

Segundo ela, o álbum como um todo tem o recado de pegar as angústias, entender que elas existem e dançar em cima delas .

“O ponto de partida é estar perdido, não se reconhecer e precisar olhar pra si. Fiz um disco que afirma as emoções e transita entre dois pólos que passam pela intensidade à leveza, pela delicadeza ao visceral”, explica.

Sua música está pautada nesse olhar de cuidado, flutuando nas análises das dores e das delícias de si. Nessa pegada ela se uniu a Júlia Branco e Luiza Brina para compor “Cheia de dobras”.

“Eu vivo tranquila e sempre ansiosa. Eu acho que a vida é uma coisa gostosa e cheia de dobras”, diz os primeiros versos da canção.

O disco passa ainda  por outra parceria com Valentina Zanini em “Eu sinto muito”, tem “Um grito”, de César Lacerda – única que Mariana não é compositora – e “Calcula-me” com a equação certa na busca dos sentidos. A última faixa leva o nome do disco e a interpretação é o golpe derradeiro para seguirmos o talento de Mariana Volker por qualquer que seja sua órbita.

Serviço: Mariana Volker lança novo álbum

Data: 6/12

Horário: 20h

Local: Centro da Música Carioca Artur da Távola

Endereço: Rua Conde de Bonfim, 824 – Tijuca, Rio de Janeiro – RJ

Ingressos: R$ 30

Compartilhar

Free Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
Download Premium WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
udemy course download free
download micromax firmware
Premium WordPress Themes Download
online free course