Paulo e Nathan lançam “Pernoites no Sofá” mais uma faixa do projeto “Backup”

Dando continuidade ao projeto “Backup”, Paulo e Nathan lançam “Pernoites no Sofá”, uma composição que trata de forma leve sobre as brigas e crise de um casal, mas com um final feliz. Ainda colhendo os frutos do último single deste trabalho, a faixa “Coisinha à Toa”, com participação de Israel e Rodolffo, que já acumula mais de 2.6 milhões de visualizações no YouTube, a dupla tem lançado quase que quinzenalmente uma faixa inédita ao seu repertório.

Paulo e Nathan foto divulgação
Paulo e Nathan foto divulgação

Sobre a nova composição, Paulo conta uma curiosidade: “Eu gravei voz e violão no apartamento, mandei no grupo e todo mundo gostou. Eu canto a maior parte dela e é até engraçado que as pessoas esperam que o Nathan suba no refrão, porque ele tem uma extensão vocal maior, mas nessa música eu que subo”.

O projeto “Backup”, que tem produção de nomes fortes no cenário sertanejo, Ivan Miyazato e Claudio Abuchaim, é o primeiro com Paulo & Nathan no casting da Work Show, uma das maiores empresas do mercado musical, cuidando de grandes artistas do cenário brasileiro como Zé Neto & Cristiano, Léo Santana, Maiara & Maraísa, João Neto & Frederico, Dilsinho, Marília Mendonça, entre outros.

Formado por 8 faixas inéditas, a dupla já disponibilizou “Backup”, “Primeira Dama”, “Coisinha à Toa”, “Quando é Amor” e “Rê”. O repertório, foi pensado nas vozes da dupla, trazendo o melhor de cada um, misturando estilos, que passam pelo pop, rock, vanerão, sem perder o sertanejo de vista, e ainda inclui o medley “Use Somebody”, do Kings Of Leon, e “A Gente Nem Ficou” do Jorge e Mateus.

“Esse projeto foi mais especial para a gente porque ele deu cara para aquilo que a gente queria mostrar para a galera, o nosso tipo de música, que não é só romântico. Demoramos cerca de 3 meses para escolher repertório, ouvimos quase 800 músicas”, conta Nathan.

Paulo e Nathan foto divulgação
Paulo e Nathan foto divulgação

Sobre

Paulo Vinicius Soares nasceu em Uberaba, Minas Gerais. Cantor, compositor e produtor musical, começou na música aos cinco anos, tocando piano, incentivado pela família. Aos 12, quando perdeu o pai, também músico e grande incentivador de sua breve trajetória musical, começou a tocar violão – um legado e uma memória afetiva que seu Orlandino Marques Soares deixara. Quase quatro anos de prática no instrumento o fizeram se juntar ao irmão em apresentações por bares da cidade, que logo passaram do violão à voz. Em 2013, começou a encarar a música como profissão. Os vídeos postados no YouTube serviram como vitrine para seu trabalho.

Com influências diversas que vão do Rock internacional de nomes como Nickelback ao sertanejo de duplas como Bruno & Marrone e Marcos & Belutti, começou a destacar-se por seu talento instrumental e voz capaz de passear entre estilos musicais distintos, até que foi convidado para integrar uma banda católica em Cachoeira Paulista. Depois de oito meses ao lado do grupo, retornou aos bares de Uberaba, quando, em 2013, resolveu se inscrever no programa The Voice Brasil. A canção escolhida? “Far Away”, do Nickelback – uma de suas preferidas. No time do cantor Lulu Santos, foi até a fase das batalhas, o que lhe rendeu reconhecimento a nível nacional. Os primeiros passos já haviam sido tomados, mas faltava algo.

Jonathan Luiz Gonçalves também vem de Uberaba. Com um ano de idade, mudou-se para Ribeirão Preto, onde morou até os sete antes de retornar à sua cidade de origem. Desde pequeno sempre gostou de rodas de música e costumava cantar com familiares e amigos em aniversários e festas de fim de ano. Aos 12, mesma idade em que começou a trabalhar em açougue, ganhou seu primeiro violão – um presente da mãe. A vida caminhou por outros rumos e o instrumento só começou a ser usado aos 18 anos, quando decidiu aprender as primeiras notas musicais.

A música ainda não era uma realidade e Nathan chegou a trabalhar em supermercados até os 25 anos, quando, sem pretensão, chamou o primo para cantar com ele em um churrasco entre amigos. A plateia gostou do que ouviu e incentivou que a dupla continuasse. Foi nessa época que chamou Paulo – que já conhecia, por acaso, desde 2015, quando namorou a prima do futuro parceiro musical – para tocar violão. Juntos, os três tocaram duas vezes em um bar, onde Paulo acabou cantando algumas músicas. O dono do estabelecimento decretou: Paulo e Nathan só voltariam ao lugar como dupla, tamanha a química musical entre os dois. O ano era 2014 e, desde então, a dupla virou uma realidade. Com um estilo mash up, misturando ao sertanejo, além do rock, o reggae, o axé e outros ritmos, a dupla vem conquistando um público fiel em shows no eixo Minas – Goiás.

Em junho de 2018, já aliados a um time de empresários de peso da cena sertaneja, registraram o primeiro trabalho ao vivo e escolheram Goiânia como palco, pela acolhida. Em uma noite intimista, mostrando todo seu potencial, gravaram o DVD com um repertório selecionado a dedo, que demonstra sua verdade musical e mostra um diferencial: “acho que uma coisa interessante na nossa dupla é o timbre de voz do Paulo. Você não consegue imaginar o timbre de voz dele cantando sertanejo. Acho que é muito difícil e a gente conseguiu fazer isso, que é muito diferente. De todas as duplas, não em questão sonora, de você escutar o instrumental, mas em questão de voz, acho que nós somos a dupla que mais tem esse contraste, do Rock unido ao sertanejo”, explica Nathan.

Com o diferencial de unir vozes e estilos distintos, Paulo e Nathan agora encaram uma nova fase, sob a chancela da Sony Music. O trabalho continua e a dupla está pronta para mostrar que pisou no cenário musical como realidade desde o primeiro passo.