É preciso levantar ‘bandeiras’ nas redes sociais? Influencer Tati Sincera lista dicas para pensar antes de dar ‘opinião para tudo’ na web

Esta pergunta assombra boa parte dos influenciadores digitais ou qualquer usuário com um perfil na web.

Nem sempre acender discussões ou criar polêmicas pode ser algo positivo. Pensando no assunto, a influenciadora digital Tati Sincera, que usa a internet para um ativismo bem-humorado do desenvolvimento pessoal, listou algumas dicas que todos deveriam pensar e seguir antes de sair opinando e polemizando na web. Ela ressalta a importância de se questionar sobre o sentido de “gritar no barulho” sem ter base teórica, histórica ou experiência sobre o assunto.

Somos bombardeados por informações e opiniões de todos os lados o tempo todo. Isso mais confunde do que ajuda. Quando escolhemos não falar de qualquer assunto, não negamos a importância e nem a gravidade do tema. Não acho positivo assumir o papel de ‘agente no caos’”, destaca Tati, que completa: “Não quero que as pessoas baseiem suas ideias nas minhas. O ideal é que as pessoas se capacitem para formar suas próprias opiniões e percepções. E, se por um acaso, eu tenha a mesma estrutura de pensamento de meus seguidores, ótimo, se não, tudo bem também.”

Tati lembra que não apenas “influenciadores digitais com muitos seguidores” são afetados quando dão opiniões de tudo, mas todos nós. Uma opinião política pode afetar a relação no trabalho, com os chefes e colegas, e um embate por conta de uma bandeira ou outra pode vir carregado de desinformação, prejudicando muito mais do que ajudando e orientando seus seguidores.

Nunca se sinta pressionado a justificar, explicar, ou se posicionar por coisas que, em poucos dias, serão reveladas pela realidade diária e não por frases soltas ou cheias de efeitos, que impressionam ou decepcionam quem alcança. Cuidado quando ouvir que você ‘precisa’ se posicionar, que ‘tem’ que fazer comunidade e que ‘precisa’ ter uma causa. Se você é referência em uma área, você já é naturalmente posicionado porque formou uma comunidade e vive por uma causa. Quem te conhece sabe disso e não vai te cobrar, nem pode.”

A ativista bem-humorada do desenvolvimento pessoal cita ainda o caso de influenciadores digitais que levantam bandeiras e temas polêmicos sem profundidade de causa, porque muitos estão fazendo isso apenas pela autopromoção. Tati Sincera foge disso: “Tenho muito medo de ganhar seguidores pela fragilidade do momento com discursos que as preencha num momento assim. Não quero ser um formador de opinião que fala aqui o que o outro quer ouvir, mas sim por toda a minha trajetória. Um formador de opinião tem base para sustentar aquilo que ele é especialista e não para falar de tudo que está em pauta na mídia.”

Veja mais dicas de Tati Sincera para fugir de embates desnecessários na web:

1) Falar sobre política vale a pena? – Se você não é um especialista político e nem está concorrendo a nenhum cargo político, não. Política é algo bem delicado, ainda mais no momento em que estamos vivendo. A desinformação e as ‘fake news’ estão a solta. Não é melhor deixar que especialistas no assunto passem as orientações? Assim você evita entrar em conflitos que podem te afetar diretamente, como por exemplo com colegas de trabalho e familiares. Caso você queira muito falar sobre política, um grande conselho: estude antes. E muito. Política não é fácil.

2) Repensar sobre desafios ou hashtags da moda – Mais uma vez vale se questionar: Esse desafio ou essa hashtag me representa? Eu domino esse assunto? É o assunto que está no meu lugar de fala? Existem muitas hashtags que podem vir carregadas de informações e muitas vezes desconhecemos todo o significado dela. Aderir a temas só porque estão na moda é muito delicado.

3) Não cair na cobrança de outros influenciadores – Influenciador que cobra posicionamento de outros influenciadores não entende o principal: os seguidores do seu colega não são os seus. Você não pode definir o que ele fala, faz ou entrega de conteúdo para o público dele. O relacionamento estabelecido entre você e seus pares não compete a outro.

4) E a cobrança dos seguidores? – Um seguidor real tem total abertura para ‘pedir’ (não cobrar) uma opinião de seus influenciadores sobre qualquer tema. Ele deve estar aberto a ouvir o que de fato a pessoa pensa sobre o tema, e não apenas para ver se a pessoa pensa como ele. O influenciador pode ou não responder, depende se ele se sente confortável e habilitado para fazer tal coisa.

5) Cabeça quente pode dar ruim! – Responder sobre qualquer assunto de cabeça quente nunca é uma boa ideia. Se o assunto for polêmico então, pior ainda. Por isso, caso seja provocado sobre algum tema, seja nos comentários, mensagens ou em marcações, espere o melhor momento para responder. Respire. E, se sentir necessidade, estude sobre tal tema para saber exatamente como passar a melhor informação. Evite entrar em embates virtuais de graça para não perder a razão.

Saiba mais sobre Tati Sincera:

https://www.instagram.com/tatisinceraa

Informações para imprensa:

Aline Nobre – alinenobre@nobreassessoria.com
Lucas Pasin – lucas@nobreassessoria.com